JavaScript não suportado

A internacionalização do ensino de Graduação e de Pós-graduação envolve a adequação da grade curricular dos cursos e programas uma vez que alguns países, como o Brasil e outros países da América Latina, tratam o currículo acadêmico de forma ampla, oferecendo disciplinas obrigatórias, eletivas e optativas. Neste sentido, a UFRPE, por meio da Pró-Reitoria de Graduação, da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, e da ACI atuarão na tradução da grade curricular de todos os cursos de graduação e de pós-graduação, a qual será vinculado ao sistema acadêmico (SIGA) da universidade, facilitando, assim, a emissão do transcript quando o estudante de outra instituição internacional finalizar a mobilidade na UFRPE, por exemplo. Além disso, a universidade irá oferecer as disciplinas de Português e Inglês, de forma contextualizada, e esta será obrigatória na matriz curricular do curso, permitindo aos alunos um completo domínio para leitura de bibliografia específica da área, como manuais, evidenciando, ainda, a importância desse idioma na participação em programas de treinamentos, pós-graduação, entre outros. Além do inglês como língua estrangeira obrigatória, o(a) estudante terá que escolher mais uma língua estrangeira como optativa, ofertada na modalidade semipresencial, de modo que o (a) mesmo, ao final do curso, tenha uma formação bilíngue. Uma vez que, atualmente, já se encontram ofertadas disciplinas em língua inglesa em alguns Programas de Pós-graduação da UFRPE, os Programas serão incentivados a aumentarem a oferta de disciplinas em inglês. Dessa maneira, com o objetivo de aprimorar esse idioma no ambiente acadêmico e viabilizar a compreensão de estudantes estrangeiros, a UFRPE tem estimulado a oferta de disciplinas totalmente ministradas no idioma inglês para alunos de graduação e de pós-graduação. Ressalta-se, ainda, que o processo de internacionalização da UFRPE contempla a realização de palestras, seminários e eventos, visando a criação de um ambiente científico vinculado aos temas definidos como prioritários para a universidade no processo de internacionalização. Esses eventos serão abertos a aprendizes de graduação e pós-graduação, visando contribuir para a disseminação do conhecimento atualizado a toda comunidade científica, assim como para a internacionalização do ensino superior na universidade.